Livros

Dois livros e um filme

Todo diaEu me deparei três vezes com a mesma história sem querer. Mas eu vou explicar melhor isso. Eu li o livro Todo Dia, da Editora Record no ano passado, a sinopse do livro é a seguinte: Toda manhã, A acorda em um corpo diferente, em uma vida diferente. Não há qualquer aviso sobre quem será ou onde estará em seguida. De menina a menino, rebelde a certinho, tímido a popular, saudável a doente; A precisa se adaptar.

Ele já se acostumou com isso e até criou algumas regras para si mesmo. Primeira: nunca se apegar; segunda: jamais interferir. E tudo corre bem… até que A desperta no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon.

A partir desse momento, as regras pelas quais tem vivido não fazem mais sentido. Porque, finalmente, A encontrou alguém com quem quer ficar; dia após dia, todo dia. Mas como esperar que uma pessoa que sempre viveu uma vida normal possa entender a realidade de A? Ou até mesmo acreditar nela? 

Enquanto lutam para se reencontrar a cada 24 horas, ambos precisam enfrentar seus próprios demônios, superar suas limitações e redefinir suas prioridades. Rhiannon conseguirá ficar com alguém que muda a cada dia? E até onde A acha justo (ou ético) interferir nas vidas de quem habita? Mas, principalmente, o amor pode mesmo vencer qualquer barreira?

Na época eu gostei bastante do livro, o autor tem uma pegada jovem, assim como o John Green, só que eu achei ele melhor. É uma boa história sem ser pretensiosa, como eu acho que acaba acontecendo nos livros do John.

Outro diaUm ano ou mais se passou, não sei se já comentei aqui, mas leio quase todos os livros pelo Kindle, tenho quase 400 livros nele e vou escolhendo pelo meu espírito. Quando comecei o Outro Dia nem liguei o nome do autor, nem mesmo a capa belíssima. Comecei a ler e me senti familiarizada com a história, que é a mesma do Todo dia, só que na visão da Rhiannon. Só que eu achei que estava lendo o mesmo livro! E comecei a ficar assustada com a minha memoria péssima, mas continuei a leitura. Só depois que entendi que eram duas obras diferentes hahahahah ufaaa!

Não sei porque foi mais recente, mas eu gostei de conhecer melhor a Rhiannon, eu não tive uma boa impressão dela no primeiro livro, mas neste eu gostei. A história segue sendo interessante, leve, mas acho que não compensa ler os livros em seguida, pode ser bem repetitivo.

Ao terminar estava comentando o livro com alguém e me perguntaram, daria um filme? Eu falei, acho que não, iria ser estranho, uma série talvez.

Ai sexta passada, queria ir ao cinema estava vendo os filmes em cartaz e me deparei com o Todo Dia eu pensei, será que é possível? Sim, era! E que mundo que eu estava que nem sabia que o livro era um best seller?

Todo-dia-poster-estrangeiroMas lá fui eu pagar absurdos 38 reais (!) para assistir. Primeiro achei a Rhiannon uma linda, uma fofa e segundo, o filme é ruim! Obviamente que mudaram partes bem importantes da história. Mostraram pouco um personagem que achei bem importante, o namorado da Rhiannon. Incluíram umas histórias que não tinham nexo ou necessidade e resumindo não gastem dinheiro para assistir, esperem chegar no Neflix,

Anúncios
SP · Vinhos

5º International Wine Show – Como Foi

Aconteceu neste sábado o 5º International Wine Show no Centro de Convenções Frei Caneca.

O evento é organizado pelo Empório Frei Caneca, que também fica no shopping e é um lugar com uma das melhores seleções de vinhos e cervejas artesanais com bom preço que já fui.

IMG-8255

Eu já tinha ido em outro evento de degustação de vinhos, o Vinho na Vila, mas foi algo bem simples apenas com vinícolas nacionais e um estrutura mediana, assim que chegamos no Wine Show já ficamos impressionados com a organização e qualidade do evento.

A entrada foi 99 reais, o evento foi das 16h às 21h com a degustação cerca dos 300 vinhos expostos, recebemos uma taça de cristal, roteiro e caneta do evento e havia à disposição mesas de canapés e queijos, bem gostosos, que foram servidas em quatro ilhas distribuídas no espaço, mas um pouco antes das 20h pararam de repor, então foi ruim para quem chegou tarde.

Nos programamos para chegar cedo, o que foi ótimo porque ficou bem cheio depois. Vale ressaltar que por ser um evento grande, cerca de mil e quinhentas pessoas eram esperadas, em nenhum momento esperamos mais do que dois minutos para provar um vinho e até o final, mesmo os rótulos mais caros ainda eram servidos. O que eu achei maravilhoso!

IMG-8256

O roteiro que recebemos foi muito útil para nos organizarmos e escolhermos quais rótulos iríamos provar. Ele era divido por importadoras e todos os vinhos degustados também eram vendidos ao evento, era só escolher e anotar do caderno.

O atendimento em todos os estandes que visitamos foi impecável, simpático e bem explicativo, salvo uma importadora que o atendimento beirava a grosseria, mas nada que afetasse o evento.

IMG-8260

Dos quase 300 vinhos oferecidos provamos mais de 60 (!) e alguns deles mais de uma vez para ter certeza que gostaríamos de levar. A seleção dos rótulos foi ótima! Muitos italianos, portugueses, franceses, alguns chilenos e argentinos. Opções mais raras como poloneses, africanos e americanos também eram encontrados. A imensa maioria eram vinhos de guarda, com bom ano de safra e envelhecidos em carvalho.

Aproveitamos o evento para conhecer mais os vinhos italianos e franceses, ambos das icônicas regiões de Brunello di Montalcino e Bourdeux, respectivamente. Não é sempre que há oportunidade de provar um autêntico Brunello, então ficamos bem animados.

Seguimos gostando muito dos portugueses, chilenos e argentino. Esse Terrazas foi um dos melhores que provamos!

IMG-8269

No final trouxemos três garrafas, alguns frios e muita, muita vontade de participar das próximas edições. Foi surpreendente, melhor do que a expectativa!

Restaurantes · SP · Viagem

Dona Chica – Campos do Jordão

Ainda é Julho e ainda é alta temporada em Campos do Jordão.

DSC04695

Na última vez que estivemos na cidade decidimos conhecer o Horto Florestal. Ele fica um pouco afastado do centro de Capivari, cerca de uns 20 minutos de carro.

DSC04680

Paga entrada, mas não achei o valor no site, acredito que foi uns 10 reais por pessoa, estudante paga meia. No comecinho do parque achei que ele estava mal cuidado, mas foi só a primeira impressão.

DSC04674O lugar vale o passeio, há trilhas, cachoeiras, que não conhecemos por motivos de: Não estávamos preparados, então eu recomendo um bom tênis e uma roupa confortável para explorar melhor o lugar.

Mas se você quer ir lá em busca de sossego, posso te indicar um lugar bem legal.

Dentro do parque fica o restaurante Dona Chica, que parece ótimo, mas o charme dele é o jardim.

DSC04670Pensa em um gramado lindo, com redes e almofadas para você, literalmente, se jogar!DSC04664Lá também há opções de pedir bebidas e porções, você pode esperar sua mesa ou apenas ficar lá bebendo e petiscando como foi o nosso caso.

Restaurantes · SP · Vinhos

Vinha Brasil – Miolo em SP

Esse blog anda parado mas minha vida anda bem louca rs

Sabe quando você precisa comemorar que sobreviveu a semana? Então, na sexta-feira eu e meu marido estávamos exatamente nesse espírito, comemorar a vida. Como esse inverno aqui em SP anda bem agradável, queríamos ficar em um lugar aberto, toma um vinho/espumante e petiscar, mas onde?

IMG-6742

Tem um casal de amigos que sempre nos falou do Vinha Brasil ou bar da Miolo, por um acaso eles também nos acompanharam nessa noite ❤  Como estávamos na Av. Paulista, o acesso é fácil, fica no 1327, da Haddock Lobo.

IMG-6741

Ao chegar lá, já achei tudo lindo, ficamos na parte externa porque esse era o objetivo e estava acontecendo uma degustação dentro do restaurante. A carta de vinhos é bem completa e escolhemos dois vinhos, um chardonnay e um pinot gris, ambos maravilhosos, leves e com baixa acidez.

IMG-8222

IMG-8221

Para petiscar escolhemos bruschettas que estavam ÓTIMAS! E uma tábua de queijos, que podem pular, apesar de bem servida e bonita, chegamos ao um consenso na mesa que apenas dois dos  queijos servidos eram bons, então não vale a pena esse pedido.

IMG-8223

O valor da conta foi um pouco salgado, mas é um lugar bem especial, sabe? Vale ir com o date, vale ir comemorar, vale ir sozinho e se presentear com uma bela noite.

 

Mendoza · Viagem · Vinhos

Enólogo por um dia – Norton

Eu vou fazer um post sobre como nos locomovemos em Mendoza, mas por enquanto vou falar de uma das experiências mais legais que tivemos nessa viagem.

O roteiro foi 100% programado por mim, eu agendei todas as nossas visitas e degustações. Também irei compartilhar o cronograma, talvez possa ajudar no seu planejamento.

DSC04994

Após o Bus Vinivinícola, nossa primeira vinícola foi a Bodega Norton, já pensou em ser enólogo por um dia e ter a oportunidade de criar o seu próprio vinho? Na Norton isso é possível!

Um pouco sobre a história

Ela é uma das vinícolas mais antigas de Mendoza, em 1989, a Norton foi adquirida pelo empresário austríaco Gernot Langes Swarovski (sim, mesmo dos cristais!). Hoje, a vinícola exporta para mais de 60 países, sendo a número 1 em exportação de vinhos de alta qualidade da Argentina.

Ao chegar, fomos recepcionados com uma taça de espumante rosé maravilhoso! Pena que o dia estava feio, porque a vinícola é linda!

Tour

DSC05008

DSC05012

Nossa guia era brasileira e super atenciosa, o tour é bem completo, passa pelos métodos mais antigos e mais modernos que podemos encontrar. Foi na Norton que conhecemos os tanques de concreto chamados de piscinas. Os tanques de fermentação tem capacidade armazenar até 30 mil litro, foram construídos há quase 100 anos e ainda são usados! Há diversos tipos e tamanhos de tanques espalhados por toda a vinícola, além das “piscinas”, há também os de aço e concreto.

DSC05021

DSC05026

DSC05040

A visita também passou pela antiga casa do primeiro proprietário e seguiu para as caves. E de TODAS que visitamos, inclusive no Chile, foi a que mais me impressionou. Além de ter todas as características, escura e fria, há um diferencial, em todos os ambientes há música clássica em alto e bom som. A explicação é que a vibração da música auxilia no bom envelhecimento do vinho.  Nesta hora estávamos degustando o Lotte Negro, um blend de 65% Malbec e 35% Cabernet Franc, maravilhoso, esse veio na mala!

DSC05030

Depois desse passeio super completo, chegou a parte mais especial, a Experiência Enólogo Por Um Dia. Primeiro, assim como TODAS as vinícolas, agende com antecedência, tudo por e-mail mesmo, sem nenhum dificuldade. Pagamos 550 pesos por pessoa e dá direito a visita, o vinho que você preparou e uma tábua de queijos (DELICIOSOS!).

DSC05049

O espaço que fizemos o nosso vinho já era um charme a parte,  vi que no verão essa experiência é feita nos jardins da bodega, o que deve ser lindo também.

DSC05053

Recebemos três garrafas de vinhos puros: Malbec, Cabernet Sauvignon e Merlot. Aí é só preparar o seu blend favorito! Nessa hora a guia nos deixou bem a vontade, só voltou na hora de engarrafarmos o vinho. Tivemos a oportunidade de testar diversas combinações até escolher nossa porcentagem ideal, até o rótulo ficou por nossa conta!

DSC05061Você pode levar os vinhos para casa, que são mais do que um belo souvenir para lembrar da viagem (não vejo a hora de abrirmos os nossos!) Ficamos 3 horas na Norton e poderia passar o dia por lá, espero ter a oportunidade de ter essa experiência novamente com um grupo de amigos, seria maravilhoso!

Livros

Livro – A Luz que Perdemos

Eu ando lendo gêneros tão variados que anda difícil juntar três livros da mesma categoria para postar aqui.

Então vamos de resenha única, A Luz que Perdemos, de Jill Santopolo da Editora Arqueiro é um romance, segue a sinopse:

“Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.

Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.

Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.

Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?” 

luz

Vi algumas comparações deste livro com outros dois que gostei bastante, o Como Eu Era Antes de Você e Um Dia, eu não concordo com o primeiro, porque a Louisa  Clark e o Willian Traynor são apaixonantes! Mas assim como no livro do Um Dia, os personagens deste livro me irritaram um pouco, já explico o motivo.
Apesar de ser uma “história de amor” acredito, que principalmente, seja uma narrativa sobre: lidar com as suas escolhas e consequências. Então, o Gabe é a pessoa decide o seu caminho e a Lucy lida com as consequências deste relacionamento.
No começo eu achei o Gabe extremamente egoísta, egocêntrico, mas no decorrer da história também não concordei com as atitudes da Lucy. No meio desse mar de sentimentos há o Derren, o marido apaixonado e compreensivo, mas que também tem seus momentos ruins.
A narrativa é bem construída, o livro é muito bem escrito, eu achei que ia chorar horrores, mas acabei tendo um sentimento de que não li sobre romance maravilhoso que não pode ser vivido, como a sinopse mesmo conta. Li sobre pessoas que não abriram mão de situações que poderiam ser mudadas com honestidade e coragem.
Acho o fim romantizar o sofrimento, achar a ideia do “Nem sempre nós ficamos com o amor da nossa vida”, louvável. Eu acredito que todo mundo, tem sim que ficar com o amor da sua vida. Se você não ama uma pessoa o mesmo tanto que ama a outra, peloamordedeus fiquem sozinhos hahahhahaha não envolvam terceiros, filhos (a Lucy tem tipo milhares de filhos durante o livro, eu perdi a conta hahahaha) nos seus problemas. Isso só causa sofrimento, isso é egoísmo. É preciso deixar ir, supere, faça terapia, mas não faça os outros de trouxa hahahaha
Para finalizar, eu achei injusto a forma que acabou o livro. Não o acontecimento final em si, porque isso já dá pra prever logo no início, conforme a história é contada. Gostaria de saber como os outros personagens também foram afetados. Enfim, talvez em uma TPM brava eu teria me emocionado, talvez eu recomende pra quer quer sofrer um pouco, mas já adianto que não um livro que amei.
Eu pareci revoltada nessa resenha, né? hahahahhaha desculpe aí, apesar de não parecer tô bem tranquila nesta sexta-feira fria ❤ 
Mendoza · Passeio · Viagem · Vinhos

Bus Vitivinícola – Valle Uco

Acabou a Copa, podemos voltar ao ritmo normal, né?

E vamos falar de coisas boas? Viagem e vinho!

Mendoza é divida por regiões, e uma das mais afastadas do centro da cidade é o Valle Uco. Eu pesquisei diversas formas (em breve vou falar mais sobre essa questão) de visitarmos as vinícolas dessa região e o melhor custo benefício foi o Bus Vitivinícola.

Mas o que é isso?!

Segundo o site deles:” Bus Vitivinícola é a nova maneira de viajar e experimentar as estradas do vinho de Luján de Cuyo, Maipú e Valle de Uco. Seis saídas semanais de terça a domingo, a partir dos principais hotéis da cidade de Mendoza, “Capital Internacional do Vinho”. Destina-se a todos aqueles que desejam experimentar a cultura do vinho com visitas guiadas, degustações, vendas de vinho e serviços gastronômicos”.

Essa opção de passeio é da agência de turismo Cata, super famosa no Chile e em Mendoza também.

Compramos o passeio pelo site por mil pesos por pessoa. Vale que frisar que esse valor é apenas do transporte, as visitas, degustações e o almoço são pagos diretamente para cada uma das vinícolas. Mas mesmo assim vale a pena!

A compra das passagens a bem tranquila, você marca o passeio que preferir, já escolhe o número do seu assento, o  hotel estará e já é mostrado o horário que o ônibus vai passar, simples assim.

Não estávamos em hotel, então enfrentamos uma curta caminhada antes das 8 da manhã, com uns 5 graus, mas sorrindo, já que foi nosso primeiro passeio na cidade.

Chegamos 10 minutinhos antes e o bus passou exatamente no horário marcado, então não se atrase! 

Ônibus

O ônibus era bem novo, confortável e quentinho! Nosso guia, o Hugo era ótimo, engraçado e prestativo. A viagem é longa e é servido apenas água e alfajores. Caso vocês optem por esse passeio eu recomendo fechar com umas três semanas de antecedência em altas temporadas porque ele estava lotado, não sobrou lugares.

Vinícolas 

DSC04801

Gimenez Riili

Visitamos três vinícolas neste passeio, nossa primeira parada foi na Gimenez Riili, que passa longe do glamour da vinícolas famosas de Mendoza, mas compensa pela bela vista, uma das mais bonitas da viagem, bem aos pés da cordilheira dos Andes. Por ser bem pequena e estarmos em um grupo razoável, perdemos grande parte da explicação da história da fundação dela. A degustação foi feita ao ar livre, digo, ao ar FRIO livre hahahahaha meu preferido foi o Torrotés, dos vinhos brancos, é o meu preferido, e esse especialmente era bem frutado e leve.

DSC04824

Optamos por levar um garrafa porque pela produção ser pequena dificilmente é encontrado fora do país. Na mesma propriedade há um pousada, que parece ser maravilhosa!

DSC04830

Salentein

A segunda parada e o almoço foi na Salentein, se você conhece um pouco dos vinhos argentinos, deve saber que a essa é uma das maiores e mais famosas vinícolas de Mendoza. Ao chegar, já no primeiro impacto ela não decepciona. Ela é divida em duas partes, na frente fica a loja e o restaurante e na segunda parte toda a produção do vinho.

DSC04855

A explicação foi ótima e a grandiosidade impressiona. Mas algo que me deixou de queixo caído foi esse piano entre os barris. A guia explicou que lá há uma acústica perfeita e são feitos três concertos por ano e a vibração musical é benéfica para o envelhecimento do vinho #dizemné?

DSC04869

A degustação foi maravilhosa, e apesar de Mendoza ser a terra do Malbec, não se assuste se você provar mais Cabernet Franc, essa uva está bem na moda por lá e tem resultado em ótimos vinhos, como este da Salentein que também veio na mala.

DSC04896

Sobre o almoço não pegamos o almoço harmonizado, porque estávamos com o horário bem justo e nossa escolha foi essa carne maravilhosa, isso é quase um pleonasmo na Argentina, com batatas gratinadas e tomates confitados.

Uma dica: Não sei a explicação, mas as garrafas de vinho são mais baratas no restaurante do que na loja deles, não há nenhum problema em comprar no restaurante, então recomendo! Percebemos isso e saímos felizes com nosso vinho hahahahhaha

Andeluna

DSC04984.JPG

A última, e não menos especial, foi a Andeluna apesar de também ser um vinícola grande, ela contrasta com toda a modernidade da Salentein, mas confesso que isso só a deixou mais charmosa!

DSC04934Ela tem um ar de fazenda de família, uma belíssima vista, o mais especial foi, que apesar de não ser a época ideal, ainda havia uns cachos de uvas nas parreiras ❤ pudemos provar uma legítima Cabernet Sauvignon direto do pé! Eu amei ter essa oportunidade! As uvas dessa região tem a casca bem grossa por ser um vale bem frio.

DSC04936A degustação que começou na parte de fora, terminou em um bela sala com vista para os barris, confesso que nenhum vinho provado foi espetacular, mas foi um ótima visita!

DSC04940

Finalizando

Pegamos o ônibus antes das 8 e chegamos quase 21, é um passeio bastante cansativo, mas não tenho reclamações. Lembrando que você não é obrigado fazer nenhuma visita ou degustação, é tudo a seu critério.

Também foi nos dada a opção de escolher qual vinícola iriamos almoçar.

Se tem uma pessoa que tem dois pés com agência de viagem sou eu, mas no caso da Cata foi tudo perfeito!