Free Walking Tour – Buenos Aires

Free Walking Tour é bem comum em cidades turísticas, a ideia é simples, conhecer a cidade com um guia especializado, a pé e por um valor que você escolhe no final do tour. Quando comecei a pesquisar sobre a viagem para Buenos Aires me deparei com essa opção, mas não achei nenhum relato de algum brasileiro que tinha participado então achei importante fazer esse post.

DSC01401

Pelo site há informações do horário e do ponto de encontro para a partida. Fizemos o Tour pelo centro histórico e há também outras opções de passeio. Nos encontramos no Congresso Nacional, chegamos um minutinhos mais cedo e ficamos um pouco perdidos, mas quando o guia chegou é bem fácil localizá-lo pela roupa laranja neon. Como fomos no sábado havia duas opções uma guia que falava espanhol e outro inglês, que foi o que escolhemos. Havia umas 20 a 30 pessoas, a maioria americanos, mas acredito que até eles que são fluentes na língua inglesa tiveram dificuldades, o sotaque do guia era bem carregado então algumas frases passaram em branco pela gente, acho que se puderem optar o espanhol é realmente uma boa, já que o grupo geralmente é composto por brasileiros e deve rolar um portunhol.

O roteiro é o seguinte:

Congreso Nacional
Palacio Barolo
Av. De Mayo
Mural de Evita
Cabildo
Plaza de Mayo
Casa Rosada
Catedral
Calle Florida
Obelisco

E dura cerca de 3 horas, sim TRÊS horas ou mais, então preparem-se sapatos confortáveis, água e um lanchinho são bem vindos. Haviam crianças no carrinho e foi super tranquilo, mas para nós adultos acaba sendo cansativo.

DSC01400
O Pensador de Rodin – Uma dos oito esculturas originais do artista

O Tour é bem explicado, tem uma pegada política forte, mas a parte histórica é realmente encantadora. Os monumentos e prédios que certamente passariam batidos, ganharam valor e importância com as observações do guia. Terminamos o passeio na Casa Rosada e no final é explicado que os Guias não ganham nada, vivem apenas da “caixinha” dos turistas, eu não lembro exatamente quanto pagamos, mas acredito que foi uns 300 pesos o casal.

DSC01407
O Palácio Barolo tem diversas referências à obra Divina Comédia

Se vale a pena? Se você estiver com tempo e disposição sim, porque é longo anda-se muito, mas também aprende-se demais sobre a história Argentina. Para mim foi uma ótima experiência.

DSC01443
Casa Rosada

Airbnb em Buenos Aires

Compensa?

Depende onde você pretende ficar. Se for uma viagem curta de dois ou três dias acho que ficar no Centro é a melhor opção por estar mais perto dos pontos turísticos mais populares, como a Casa Rosada e Puerto Madero, mas se a intenção é ficar por mais uns dias vale a pena sim.

Ficamos por cinco dias, tempo de sobra para fazer tudo com tranquilidade, comecei a pesquisar qual bairro é mais seguro e com diversas opções de mercado, bares e restaurantes por perto e o bairro da Recoleta foi o que mais se encaixou no nosso perfil. Primeiro pesquisamos hotéis, sempre pelo Booking e os preços são em média 30% mais caros que a região central, por isso o Airbnb começou a ser uma opção.

Conversei com cerca de três proprietários, falei sobre a possibilidade de um late check out, expliquei que iriamos chegar por volta da meia noite, o que é um problema para alguns locatários e acabamos decidindo por um apartamento localizado na rua Laprida.

O pagamento do Airbnb é feito assim que fechamos a reserva, porém o proprietário só recebe o dinheiro após o check in o que é bem seguro.

DSC01326

O apartamento era exatamente igual as fotos, limpo e aconchegante, como em Buenos Aires o clima é geralmente mais frio que no Brasil, é importante verificar se o lugar escolhido tem aquecedores, no nosso caso haviam dois, uma na sala e um no quarto, ambos novos e potentes, a temperatura chegou aos 8 graus e não sentimos nada de frio. Também fizemos questão de saber se havia secador de cabelos e um saca-rolhas (porque nada como ir ao mercado e pagar menos de 20 reais por um bom vinho).

Fomos super bem recebidos durante o check in, o proprietário falou um pouco sobre os pontos turísticos e deixou um SUBE, cartão para transporte público a nossa disposição.

A localização também era tão boa quanto esperávamos, super tranquila e segura, saímos a pé para um pub depois da meia noite e encontramos diversos argentinos passeando com o cachorro.

Quem faz questão de café da manhã o Airbnb também é uma boa opção já que ele foi cerca de 300 reais mais barato que um hotel na região e com esse valor dá para ir ao mercado comprar coisas para fazer no apartamento, a cozinha era bem equipada ou comer fora e experimentar as famosas medialunas.

O que eu mais gostei de ficar no Airbnb é que você se sente em casa e também nos sentimos um pouco como os próprios hermanos, foi uma experiência incrível poder viver o local que visitamos.

DSC01325